Siga nosso Instagram Siga nossa fanpage Siga nosso Twitter Siga nosso Youtube

O estado do Rio em suas mãos 

Quinta, 11 Outubro 2018 11:36

Rio será a sede dos Jogos Pan-Americanos Master 2020

Coluna
Rio será a sede dos Jogos Pan-Americanos Master 2020 Foto: divulgação

Atual Prefeito do Rio, Marcelo Crivella, assinou nesta quarta-feira contrato para a realização do evento no Rio.


Por Prefeitura do estado do Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, assinou nesta quarta-feira 10/10, no Palácio da Cidade, em Botafogo, o contrato que vai permitir à capital fluminense sediar os Jogos Pan-Americanos Master em 2020. A expectativa é a de que entre atletas e turistas, os Jogos atraiam cerca de 20 mil visitantes, que, juntos, injetarão cerca de R$ 150 milhões na economia local. O evento será realizado entre os dias 4 e 13 de setembro de 2020 e contará com a participação de atletas não-profissionais acima de 30 anos.

“Nossa expectativa é a de que todo o Rio de Janeiro, que todos nós sejamos envolvidos e absorvidos pelo espírito do esporte. Hoje, em nossa cidade, infelizmente, há uma multidão de jovens que caíram nas armadilhas do tráfico. A esperança é de que eles sejam resgatados por essa ferramenta poderosa que é o esporte, que tem essa capacidade de gerar saúde, vida, alegria, tudo o que precisamos para enfrentar as adversidades do nosso dia a dia”, afirmou o prefeito Marcelo Crivella.


O Presidente da International Master Games Association (IMGA), o dinamarquês Kai Holm, celebrou a formalização do acordo para a próxima edição do evento, que contará com 26 modalidades esportivas e competições realizadas nas zonas Norte, Sul e Oeste da cidade, respectivamente, nos bairros do Maracanã, Copacabana, Barra da Tijuca e Deodoro.

“Ter uma metrópole como o Rio de Janeiro, com essa beleza exuberante, como cidade-sede, engrandece ainda mais esse evento. Será um grande prazer ter o Rio como sede dos Jogos Pan-Americanos Master 2020”, afirmou Holm.


A subsecretária do Legado Olímpico, Patrícia Amorim, presente ao evento, afirmou que com o Master Games a cidade do Rio irá consolidar sua capacidade em garantir um legado olímpico mesmo após os Jogos de 2016.


“Com todas as dificuldades, nós conseguimos. Nossos órgãos estão integrados, em perfeita harmonia, todos falam, todos contribuem, sob a liderança do nosso prefeito Marcelo Crivella. Por mais que nós fôssemos extremamente simpáticos a esse evento, estivéssemos irmanados em garantir todas as condições para que ele aconteça com êxito, se o comandante não quisesse o barco não ia andar. A gente só chegou até aqui porque o prefeito nos permitiu e nos garantiu essa possibilidade”, afirmou a subsecretária, ela mesma uma ex-atleta olímpica.


Medalhista em Moscou nos anos de 1980 e representante do Comitê Brasileiro de Esporte Master (CBEM), Djan Madruga, 59 anos, afirmou que eventos como os Jogos Pan-Americanos Master são uma ótima oportunidade para a cidade pensar e promover políticas públicas voltadas a uma crescente demanda social.


“O Brasil já tem hoje 30 milhões de idosos, e em 2030 essa população será maior que a de jovens e crianças menores de 14 anos. Por aí temos uma ideia do que representa esse evento: temos que nos preparar para essa nova realidade. A Prefeitura do Rio já tem atuado nesse sentido. Nossas Vilas Olímpicas têm mais de 20 mil adultos praticando atividades e as academias da terceira idade trazem atividades para milhares de cariocas todos os dias”, afirmou Djan, nadador master e atual recordista mundial nos 200 metros nado livre.


A cerimônia para a assinatura do contrato reuniu dezenas de atletas masters no Palácio da Cidade, como o presidente da Confederação Brasileira de Basquete Master Carlos Fontenelle. Aos 61 anos, 48 deles dedicados ao esporte, o tricampeão mundial da categoria celebrou os impactos positivos na realização do evento na cidade.


“Esse evento é importante em duas frentes: primeiro, incentiva as pessoas a voltarem a praticar esporte, o que é fundamental para o bem-estar da sociedade. A outra é para a própria cidade, já que não existe nenhum evento do tamanho da Olimpíada Master. Para se ter uma ideia, no mundial, na Nova Zelândia, foram 28 mil atletas. Na última Olimpíada, no Rio, tivemos 11 mil. Em 2020, esperamos 15 mil atletas, é realmente um evento de grande impacto”, avaliou Fontenelle.

 

Hércules Gusmão, atleta master do vôlei, de 56 anos, ressaltou que o esporte também promove a inclusão social. “O esporte master é uma ferramenta poderosa. O Rio de Janeiro terá uma festa da inclusão”, afirmou.

 

SOBRE A ESCOLHA DO RIO COMO SEDE

O Rio de Janeiro garantiu o direito de sediar a competição ao vencer, em abril, a disputa entre Cali, na Colômbia, e Cleveland, nos Estados Unidos, em cerimônia realizada na Nova Zelândia. Na semana passada, a Prefeitura do Rio conseguiu, junto à Casa Civil, a liberação dos US$ 100 mil oriundos dos royalties do petróleo necessários para a assinatura do contrato.



Siga-nos aqui

  Instagram

  Facebook

  Twitter

  Fale conosco

Luciano Azevedo

"Integrando a comunicação
no estado do Rio de Janeiro"

         - Luciano Azevedo (fundador)

Leia o editorial

Amigos colaborativos

Conheça as prefeituras, projetos, empresas, instituições, agencias e assessorias que colaboram diretamente conosco: