Siga nosso Instagram Siga nossa fanpage Siga nosso Twitter Siga nosso Youtube

O estado do Rio em suas mãos 

Terça, 30 Outubro 2018 17:43

Prefeitura anuncia reestruturação da atenção primária. Baixe aqui a apresentação em PPT (PowerPoint) feita para tirar todas as suas dúvidas

Coluna
Baixe a apresentação PPTX (PowerPoint) ao final deste artigo Baixe a apresentação PPTX (PowerPoint) ao final deste artigo

Nova estratégia vai beneficiar regiões com moradores que mais precisam do serviço.


Por Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, após um detalhado estudo técnico, está reorganizando o atendimento oferecido pela rede de Atenção Primária na cidade. Elaborada por um grupo de trabalho formado por técnicos das secretarias municipais de Saúde, da Casa Civil e da Fazenda, a adequação ajusta a oferta de serviços à necessidade real de cada região da cidade, uma vez que o estudo demonstrou que a população mais pobre e que conta com menor infraestrutura de serviços públicos, estava contando com menos equipes para o atendimento. O plano ainda busca ainda adequar o serviço ao orçamento municipal, tão impactado pela crise financeira que afetou todo o País, e pela diminuição da arrecadação de tributos.

Na análise feita pela equipe técnica foi possível observar que quase 300 equipes foram contratadas no segundo semestre de 2016, ano eleitoral, e que foram distribuídas para regiões que já contavam com boa cobertura de saúde. “O crescimento da rede é vegetativo, é cadenciado até 2016, quando dá um salto maior que a capacidade da Prefeitura de manter o serviço. Esta adequação apenas equilibra as contas e a manutenção de toda a rede de saúde da cidade”, explicou o secretário da Casa Civil Paulo Messina.

A reorganização feita a partir de critérios técnicos e de produção das equipes vai permitir um melhor acompanhamento do trabalho desenvolvido na Atenção Primária, que deverá aumentar sua produção e resolutividade, absorvendo o público que busca atendimento em unidades pré-hospitalares como as UPAS. No total, 184 equipes de Saúde da Família serão desabilitadas. Importante destacar que o custo (R$ 184 milhões) será revertido em outras estratégias de atendimento na própria área da Saúde.

“Não estamos fazendo cortes lineares. É uma medida pensada e estudada. A Estratégia Saúde da Família é um método de assistência, mas não é o único. Hoje, por exemplo, temos menos de 300 médicos especialistas em Saúde da Família nas equipes. Além de ser um método caro, percebemos que não está funcionando de forma adequada. Objetivo é oferecer mais a quem mais precisa”, esclareceu a secretária de Saúde, Beatriz Busch, acrescentando que o objetivo é, além do melhor serviço, poder manter salários em dia e medicamentos disponíveis.

A reorganização dos Serviços de Atenção Primária tem os seguintes princípios estruturantes:

- Não vai ter cortes de serviços;

- Garantia de acesso à rede de Atenção Básica;

- Permanência do serviço do Médico de Família e dos Agentes Comunitários de Saúde;

Mesmo com as mudanças, o acesso da população aos atendimentos de saúde está garantido

Metodologia de redução de custos - Pilares:

- Foco na permanência de equipes em áreas que mais necessitam;

- Eliminação de equipes com baixa produtividade;

- Aumentar o número de atendimento das equipes que permaneceram.

Baixe a apresentação PPT oficial da Prefeitura do Rio (PowerPoint)

Clique aqui e assista ou faça o download da apresentação



Siga-nos aqui

  Instagram

  Facebook

  Twitter

  Fale conosco

Luciano Azevedo

"Integrando a comunicação
no estado do Rio de Janeiro"

         - Luciano Azevedo (fundador)

Leia o editorial

Amigos colaborativos

Conheça as prefeituras, projetos, empresas, instituições, agencias e assessorias que colaboram diretamente conosco: